Bolsonaro e o orçamento de rabo curto

O impacto Sergio Moro
15 de novembro de 2021
República de vadios e capoeiras
15 de novembro de 2021
Já escrevi sobre o Orçamento rabilongo da República Velha. O apelido deveu-se à longa cauda de emendas estranhas à matéria que a lei orçamentária continha. Mas o que é mais relevante não é apenas a exclusividade ou pureza do orçamento que não deve conter matéria estranha às finanças públicas. O que escapou a muitos analistas é que o orçamento expressava uma certa impotência do executivo face ao legislativo. O atual protagonismo do legislativo sugere que estaríamos de volta ao Orçamento rabilongo, mas se trata do contrário.
Leia mais (11/14/2021 – 23h15)

Os comentários estão encerrados.