Brasil vive ataque legislativo e político contra educação sexual e de gênero, aponta ONG

Câmara aprova programa de serviço voluntário para desempregados
12 de maio de 2022
Escolas que assediam alunas
12 de maio de 2022
Professora de inglês de uma escola pública de Vinhedo (SP), Virgínia Ferreira aproveitou a semana do Dia Internacional da Mulher, em março de 2019, e pediu uma pesquisa sobre feminismo e violência de gênero aos alunos do oitavo ano. A iniciativa lhe rendeu a acusação, por parte de outros servidores, de “doutrinação”, dois processos disciplinares e uma série de ameaças e ataques a sua reputação em redes sociais.
Leia mais (05/12/2022 – 01h00)

Os comentários estão encerrados.